Oculta em véu a face
um leve tocar de luz
lunar brilho, celeste objeto
percorre meu corpo teu toque
E vem a brisa, leve e gelada
acolher na alma minha espera
sentinelo teus passos, sozinho
aguardo-te em vão, em sonho terreno
Teu toque recolhido dá a mão a este silêncio...
Esconde também o passo,
veste as mãos omite o fato.
Aguardo um passo, não vejo um gesto
um leve e oculto ato;
um beijo, um marco e calo.
.................01/03/2007
..........Guilherme Souza Pinto

0 comentários: