Partiu-se o encanto,
proclamou-se a angústia
e -desabada estando-
a vida arritimou-se.

Os meus passos, na escuridão,
eu não os vi ficar esquecidos
ao frio da noite,
cuja cinza se fez.

Em seu manto negro, acolhia-me a lua;
retalhando ao meu corpo, escondia-se.
Tentei achar o caminho,
em pleno vazio, buscar respostas.

O silêncio não omitia, afligia-me o que sentia.
Sem seu afago, minguava o brilho: a lua não existia...

Em flagelos 16/05/2004
Guilherme Souza Pinto

0 comentários: